Buscar
  • Coletivo Força Motriz

Natep Cultiva #4 - A importância do Aipim para a sociedade

Atualizado: Jan 25

  • Por Eduarda Barros e Geórgia Liporace, Equipe Natep Cultiva, CFM.


Aipim, mandioca ou macaxeira. Provavelmente, você e sua família o/a chamam de uma dessas maneiras. Este alimento é importantíssimo não apenas na cultura e na culinária brasileiras, mas na de diversos países dos continentes americano e africano, fazendo parte das histórias dos povos desses locais. Seu preparo pode ser feito de diversas formas, e suas diferentes nomenclaturas no Brasil estão relacionadas a especificidades e às origens próprias de cada região do país.

Mandioca (Fonte: Shutterstock)

Mas o que você realmente sabe sobre esse ingrediente? Neste post, vamos contar um pouquinho da história desta raiz, que foi escolhida como alimento do século pela ONU, além de falar também sobre o principal consórcio utilizado para seu plantio e passar ainda uma receitinha ao final da leitura.



Origem, características e subprodutos


A origem da mandioca é controversa: enquanto alguns acreditam que é natural das Américas Central e do Sul, outros defendem que surgiu no cerrado brasileiro. Alguns pesquisadores acreditam, inclusive, que a mandioca teve sua origem nos povos Tupis.


Plantação de mandioca, Blog MF Rural.

A mandioca é uma planta duradoura e arbustiva, caracterizando-se como um alimento com alta importância na cultura e na alimentação brasileira. Planta já cultivada tradicionalmente pelos povos indígenas, tem a raiz como sua parte mais importante, sendo a região que se come; rica em amido, é utilizada na alimentação humana e animal ou como matéria-prima para diversas indústrias, ainda conferindo uma consistência especial a preparações culinárias.


Um subproduto muito comum da mandioca é sua farinha, amplamente utilizada na culinária brasileira, já tendo se transformado em tradição. É um dos ingredientes principais de pratos como tutu de feijão, pirão de peixe, pato no tucupi, tacacá, farofa d’água, tapioca… Além disso, é um alimento energético e nutritivo, rico em carboidratos e em vitaminas do complexo B, cálcio, fósforo e ferro.


Infelizmente, devido ao aumento da industrialização alimentar, a modismos dietéticos, ao agravamento da insegurança alimentar e à perda gradativa de tradições culinárias e alimentares provocada pela globalização da dieta, o consumo da farinha de mandioca vem se reduzindo em nosso país, assim como o de outros alimentos que formam a base da nossa alimentação típica, como o arroz e o feijão preto, espécies alimentícias de suma importância para nossa história, nossa memória e nossa cultura, e, portanto, para as raízes do nosso povo.



Consórcios


Ao pensar em consórcios para o plantio do aipim, características como seu ciclo lento (especialmente no desenvolvimento inicial) e sua caracterização como planta esgotante de nutrientes do solo devem ser levadas em consideração.


Mandioca em consórcio, Embrapa.

O consórcio mais famoso envolvendo essa planta é o que a relaciona com o feijão e o milho. A primeira vantagem dessa associação é a popularidade e importância cultural e nutricional dos três alimentos; em relação o plantio em si, os principais benfícios são:





- Aproveitamento total do espaço, por suas estruturas e sistemas radiculares bem diferentes;

- O solo fica coberto e protegido;

- As palhas do feijão e do milho ajudam a recuperar o solo.



Receita com aipim


Para te incentivar a usar mais esse ingrediente maravilhoso na cozinha, vamos passar uma receita clássica que você provavelmente já comeu ou pelo menos ouviu falar: bolo de aipim. Essa aqui a gente pegou do blog Paveg (link nas referências). Anota aí para testar em casa:


Ingredientes

  • 500 g de aipim cru ralado (após descascar e cortar, deixe em água para não escurecer até o momento de preparar);

  • 100g de coco ralado (aprox. 1 + ¼ de xícara de chá) - reserve um pouco mais para untar e polvilhar por cima do bolo;

  • 200g de açúcar demerara (aprox. 1 xícara de chá);

  • 600 mL de leite de coco concentrado (caseiro ou comercial - uso culinário);

  • 30 mL de óleo de coco (2 colheres de sopa);

  • 1 colher de sobremesa de fermento químico.


Preparo

  1. Ligue seu forno a 180 °C para que pré-aqueça por cerca de 10 min.;

  2. Escorra a água em que o aipim estava de molho.;

  3. Em uma tigela ou recipiente de escolha, coloque o aipim, o coco ralado e o açúcar demerara, misturando até incorporar bem;

  4. Adicione o leite e o óleo de coco e misture mais uma vez;

  5. Por último, acrescente o fermento e novamente misture, agora delicadamente só até estar tudo bem homogêneo;

  6. Transfira a massa para uma forma untada com óleo de coco e coco ralado;

  7. Polvilhe com mais coco ralado por cima;

  8. Leve ao forno e deixe assar por volta de 45 minutos;

  9. Passado o tempo, retire o bolo do forno, espere esfriar, desenforme e aproveite!



Não deixe de acompanhar as nossas redes sociais para mais conteúdos como este! 🤲🏽🌿


Instagram: @coletivoforcamotriz

Facebook: @coletivoforcamotriz

Youtube: CFM - Força Motriz




- FONTES CONSULTADAS NA PRODUÇÃO DESSE POST -


Alimento do século: mandioca é ingrediente versátil e nutritivo, G1, 2020. Disponível em: <https://g1.globo.com/google/amp/sp/campinas-regiao/terra-da-gente/noticia/2020/01/15/alimento-do-seculo-mandioca-e-alimento-versatil-e-nutritivo.ghtml>. Acesso em Ago. de 2020.


História da Mandioca - Lendas e Mitos, Mandioqueiro, 2018. Disponível em: <https://www.mandioqueiro.com.br/?pg=curiosidade_ver&cur_id=55#:~:text=Existem%20v%C3%A1rias%20lendas%20que%20explicam,cacique%20de%20uma%20tribo%20antiga.&text=Os%20%C3%ADndios%20deram%20o%20nome,que%20hoje%20conhecemos%20como%20mandioca>. Acesso em Ago. de 2020.


Bolo de Aipim Vegano e Sem Glúten, Paloma Moreira, Paveg, 2019. Disponível em: <http://paveg.com.br/bolo-de-aipim-vegano-e-sem-gluten/>. Acesso em Ago. de 2020.



Posts recentes

Ver tudo